Famílias de jovens mortos no Guarujá pedem justiça

As famílias do cabo do Exército, Marcel Rodrigo Gonçalves, de 21 anos e do estudante deDireito, José Carlos de Souza Júnior, de 22 anos, vão acompanhar todo o processo de denúncia e julgamento dos quatroacusados de executarem os jovens no Guarujá, no final de semana.O pai de Júnior, José Carlos, disse que pretende encabeçar uma campanha pela "paz" e também afirmou que "o litoral Sulacabou" para ele e todas as famílias que acompanharam o velório. Os jovens saíram de Jundiaí e foram passar um final de semana na Praia Grande e de lá resolveram assistir a um show doCharlie Brow Jr, quando foram dominados no Morro do Maluf, no final da Praia de Pitangueiras, pelos quatro assaltantes: Adriano Galvão da Silva, de 24 anos; Rodrigo Bezerra dos Passos, de 23 e mais dois menores de idade. Os rapazes foram executados e antes de serem mortos, viram os acusados cavarem um buraco para enterra-los. José Carlos disse que as famílias vão fazer de tudo para que os presos recebam "o que merecem". Para ele, a pena demorte deveria ser implantada no Brasil, "porque nesse caso não há o que contestar. Eles nem deram chances de vida aos nossos filhos". O pai de Júnior alerta a Justiça de que se alguém for solto, poderá voltar a cometer algum crime, porque possuem "sangue frio" e "não dão valor à vida".

Agencia Estado,

27 de janeiro de 2004 | 14h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.