Famílias processam pilotos do Legacy

Cinco famílias de vítimas do acidente aéreo ocorrido em 29 de setembro de 2006 entre um Boeing da Gol e um jato Legacy devem entrar amanhã com ação indenizatória por danos morais e patrimoniais na Comarca de Peixoto de Azevedo, em Mato Grosso, contra os americanos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino, pilotos do jato. A ação também envolve as empresas Embraer, Rayteon - fabricante de software de controle aéreo -, Lockheed Martin - que produz turbinas -, Execel Air e Honeywell - que fabrica transponder . Luiz Roberto de Arruda Sampaio, advogado das famílias de Brasília, Rio e São Paulo, pede, na ação, indenização de R$ 15 milhões. O total corresponde à soma dos valores requeridos para cada família. O advogado disse que as famílias decidiram entrar com ação indenizatória em Peixoto de Azevedo depois que a Justiça americana "entendeu que todas as ações deveriam acontecer na Justiça brasileira". Segundo Sampaio, há uma apelação na Justiça americana que deverá ser julgada somente em dezembro. Relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) apontou, entre os fatores que contribuíram para o desastre que matou 154 pessoas, a desatenção de Lepore e Paladino e seu desconhecimento do plano de voo, além de erros dos controladores do tráfego aéreo. O acidente ocorreu ao norte de Cuiabá.

Fátima Lessa, O Estadao de S.Paulo

02 Julho 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.