Famílias resistem, mas acabam desocupando terreno na Região Metropolitana do Recife

Cerca de 500 famílias estavam há quatro meses em área de empresa que faliu, no município de Moreno

Angela Lacerda, O Estado de S. Paulo

30 de julho de 2014 | 16h36

RECIFE - Famílias ligadas aos Movimentos dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) e Sem-Teto (MTST) tentaram nesta quarta-feira, 30, resistir à reintegração de posse de um terreno pertencente ao Cotonifício Moreno, no município de Moreno, na Região Metropolitana do Recife, ateando fogo a pneus em dois acessos da área, mas desistiram.

"Nossas forças foram poucas e a gente saiu", afirmou o líder do MST no município, José Severino da Silva, destacando a grande quantidade de PMs enviados para cumprir a ordem judicial da 1.ª Vara Cível. Não houve confronto nem violência física.

De acordo com o MST, 500 famílias ocuparam a área de 390 hectares há quatro meses. O local foi dividido em lotes, quatro deles na área urbana do município. O Cotonifício Moreno faliu e os movimentos sociais querem que o poder público implemente um projeto habitacional para as famílias sem-terra e sem-teto. "Vamos voltar a ocupar, vamos pressionar", avisou Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.