Famílias voltarão a receber leite do governo de SP

A partir da próxima segunda-feira, as 720 mil famílias que participam do programa Viva Leite, do governo estadual, e ficaram sem o produto desde o dia 1.º de janeiro voltarão a recebê-lo. A Secretaria de Agricultura vai assinar até sexta-feira os contratos de emergência com as 25 empresas que garantirão a retomada do fornecimento às famílias com renda de até dois salários mínimos. A concorrência para continuidade do Viva Leite neste ano foi cancelada pelo governo porque dois terços das propostas das empresas licitantes estavam acima de R$ 0,93 para a capital paulista e R$ 0,89 no interior, preços máximos por litro apontados em uma pesquisa de mercado. O preço médio nos contratos de emergência ficou em R$ 0,88 o litro tanto na capital e na Grande São Paulo quanto no interior. ?Ainda não estamos satisfeitos com esse preço e vamos pensar em novas estratégias, como, por exemplo, comprar o leite no pregão eletrônico?, afirmou o secretário de Agricultura e Abastecimento, Duarte Nogueira. O produto comprado pelo Estado, quase 11 milhões de litros de leite C por mês, equivale a 9 % da produção leiteira estadual, constituindo-se em um dos mais importantes negócios do setor. Em um mês, a secretaria vai abrir nova licitação para compra do leite. O Viva Leite existe desde 1993, quando tinha o nome de Vida Alimento. Em 1999, o então governador Mário Covas o reformulou e o projeto ganhou a nova denominação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.