Farah fica calmo e bate papo durante júri

Ele alterna a cabeça baixa, sugerindo constrangimento, com um olhar muito atento e vivaz às palavras das testemunhas. Farah Jorge Farah permaneceu bastante calmo nos dois primeiros dias do julgamento em que responde por homicídio duplamente qualificado - motivo torpe e dissimulação - e ocultação de cadáver. Ele anota detalhes dos depoimentos e, muitas vezes, comenta-os por bilhetes com seus advogados. Anteontem, enquanto uma testemunha falava, de tão tranqüilo, Farah batia papo com o policial que sentava ao seu lado. Ele comentou que está cursando o segundo semestre do curso de Direito na Unip e perguntou os dias em que haveria júri no Fórum de Santana, para ir acompanhar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.