'Favelas do Brasil estão sendo abandonadas', diz Nobel da Paz

Arcebispo Desmond Tutu atua como pacifista pelo mundo e afirma que diferenças sociais precisam ser reduzidas

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo,

18 de setembro de 2008 | 14h09

O Brasil nunca conseguirá resolver a violência nas favelas com mais violência. O alerta é do prêmio Nobel da Paz, Arcebispo Desmond Tutu. Em entrevista ao Estado, um dos principais ativistas pela paz no mundo alerta que "favelas inteiras estão sendo abandonadas pelo Estado".   O bispo sul-africano adotou uma posição anti-apartheid nos anos 70 e 80. Em 1984, recebeu o Prêmio Nobel da Paz. Em 1996 presidiu a Comissão de Reconciliação e Verdade, destinada a promover a integração racial na África do Sul após a extinção do apartheid. Desde então, vem sendo atuando como um pacifista em situações no Iraque, Israel e outras partes do mundo.   Confira trecho da entrevista e leia a íntegra na edição de sexta-feira, 19, de O Estado de S. Paulo   A ONU recentemente atacou a forma pela qual o Brasil luta contra a criminalidade. Mas nesta semana, uma nova operação foi realizada em uma favela no Rio de Janeiro. Qual é a solução para a violência no Brasil Antes de tudo, precisa haver um processo de humanização de novo dessas pessoas que vivem nesses locais e o reconhecimento de sua dignidade. No dia em que todos se considerarem como seres humanos iguais, a vida de cada um valerá bem mais. Nesse momento, matar ficará cada vez mais difícil para cada um.   Mas, na prática, o que precisa mudar. Muita coisa precisa mudar. As diferenças sociais precisam ser reduzidas. Essa é a única forma. Para começar, a população mais pobre precisa deixar de ser abandonada pelas autoridades. A violência hoje em várias partes do mundo é resultado desse abandono de milhões de pessoas. Nas favelas brasileiras, o abandono é o pior inimigo à estabilidade. O abandono é o que gera a frustração tão grande dessas populações.   Qual é a solução para essa frustração. Os índices de mortes no Brasil são gigantescos. Um país só pode de fato crescer se esse crescimento atingir a todos. E isso precisa acontecer no Brasil. Onde é que está o Estado nessas horas. Essa população das favelas precisa de água, saúde, educação. Não de armas apontadas contra eles. O Brasil nunca conseguirá resolver a violência nas favelas com mais violência. Favelas inteiras estão sendo abandonadas pelo Estado. Isso é o que precisa mudar. Não a invasão de exércitos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.