Fazendeiro morre depois de três atentados

O fazendeiro Brasilino Dias Ramos, de 50 anos, morreu depois de sofrer o terceiro atentado em dois meses. O crime, que ocorreu ontem à noite em Cravinhos, na região de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, deixou também dois funcionários do fazendeiro feridos. Eles foram internados no pronto-socorro da cidade e ainda não há informações sobre estado de saúde deles. O assassino fugiu sem ser reconhecido.A polícia vai investigar se há ligação entre a morte de Dias Ramos e uma chacina ocorrida em São Desidério, na Bahia, em outubro do ano passado, quando um irmão, um sobrinho e dois empregados do fazendeiro foram mortos. Dias Ramos e mais cinco pessoas presentes conseguiram fugir. Os corpos das vítimas até hoje não foram encontrados e a polícia acredita que os crime foram cometidos com uma moto-serra.Depois de sofrer o primeiro atentado na Bahia, Dias Ramos enfrentou um segundo crime, em setembro deste ano, já em Cravinhos. Na ocasião, o fazendeiro estava na varanda de sua casa com um amigo quando foi baleado por um homem. Os tiros acertaram a barriga e o braço, e ele ficou internado na Santa Casa de Ribeirão.Desde então, Dias Ramos passou a usar um colete à prova de balas, segundo revelou a família. No atentado desta quarta, ele levou tiros na cabeça e morreu no local.Na época da chacina na Bahia, Brasilino Dias Ramos chegou a indicar à polícia como suspeito um fazendeiro que estaria interessado em suas terras. No primeiro atentado em Cravinhos, o fazendeiro voltou a citar o mesmo suspeito, cujo nome não foi divulgado. As informações são do site da EPTV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.