Febem de Franco da Rocha demite 7 funcionários

O presidente da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (Febem), Paulo Sérgio de Oliveira e Costa, demitiu nesta segunsda-feira sete funcionários das unidades 30 e 31 da instituição em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Eles eram coordenadores de turnos, cargo que é de confiança. Os nomes não foram revelados.A Febem de Franco da Rocha foi alvo de várias rebeliões desde o início do ano. Na semana passada, o Ministério Público Estadual (MPE) confirmou a existência de uma quadrilha formada por funcionários que incitam rebeliões dos internos.Apesar disso, a justificativa da Febem para as demissões é administrativa. "É readequação de quadros", informou a assessoria de comunicação da fundação. No entanto, o Estado apurou que os demitidos são suspeitos de incentivar rebeliões em Franco da Rocha.Nas investigações do MPE, promotores dizem ter provas contra pelo menos dez pessoas (monitores e diretores) envolvidas no incentivo aos motins nas unidades 30 e 31. O objetivo do esquema seria conseguir benefícios, como horas extras.O presidente do sindicato dos funcionários (Sintraenfa), Antonio Gilberto da Silva, acredita que os demitidos serão substituídos por pessoas ligadas ao novo presidente da Febem, que assumiu o cargo no mês passado. "Que futuro nós temos dentro da Febem?"A assessoria de comunicação da fundação admitiu que novas demissões poderão ocorrer, "dentro da linha de enxugamento de quadros". A Febem pretende fechar as duas unidades até o fim do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.