Febem investigará denúncias de tortura no Tatuapé, diz secretária

A secretária estadual da Juventude e Esportes, Luciana de Toledo Temer Castelo Branco, informou hoje que a Fundação do Bem-Estar do Menor Febem (Febem) investigará as denúncias de que haveria maus tratos e tortura na unidade do Tatuapé, segundo indícios apontados em vistoria por 27 conselheiros tutelares. "Nenhuma denúncia que nos chega deixa de ser verificada. Se houver um indício muito forte, os funcionários envolvidos serão demitidos, independentemente do fim da sindicância", afirmou a secretária. Caso não haja provas contundentes, mas ainda persistam os indícios, os funcionários serão afastados, disse ela. Luciana afirmou que recentemente foram feitas demissões em outras unidades, como a de Parelheiros, hoje desativada, e a de Franco da Rocha, envolvendo denúncias semelhantes. No caso de Parelheiros, foi decretada a prisão de 14 funcionários. A secretária elogiou a atual direção da Febem do Tatuapé e disse que acha difícil que exista irregularidades nessa unidade. Nas últimas vistorias feitas, segundo ela, não se constatou problemas. As vistorias feitas pelo conselho tutelar na Febem são rotineiras, segundo Luciana, e ajudam o governo a administrar as unidades, levantando irregularidades que muitas vezes não chegam à direção ou à secretaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.