Febre amarela pode ter feito a 11ª vítima em Minas

O surto de febre amarela silvestre que atinge a região Centro-Oeste de Minas pode ter feito a 11ª vítima, desde o dia 23 de janeiro. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, um homem, cuja identidade não foi informada, morreu anteontem em um hospital de Belo Horizonte, onde estava internado depois de ter participado, há cerca de dez dias, de uma pescaria nas imediações de Leandro Ferreira, uma das sete cidades nas quais foram registrados óbitos por causa da doença. "A evolução clínica do paciente também seguiu o ciclo normal da doença, com o agravamento dos sintomas a partir do quarto dia depois da contaminação, o que nos leva a crer que tenha sido mais uma vítima", disse o secretário Carlos Patrício de Freitas. Dos 10 mortos que já eram contabilizados, apenas cinco tiveram confirmação de presença do vírus amarílico, por meio de exames de sorologia na Fundação Instituto Osvaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.A Fiocruz também comprovou a febre amarela em outros três pacientes, de um total de 19 casos suspeitos de terem sido infectados na região Centro-Oeste, este ano, mas eles receberam alta e passam bem. De acordo com Freitas, apenas duas pessoas continuam internadas com sintomas da febre amarela no Estado - uma no hospital Felício Rocho, na capital, e a outra em um hospital de Divinópolis, cidade-pólo do Centro-Oeste. Os testes sobre a existência ou não do vírus devem ficar prontos nos próximos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.