Fechado para reformas, Municipal só deve abrir neste ano para a Virada

O Teatro Municipal de São Paulo deve comemorar seu centenário, em setembro de 2011, com as mesmas características de quando foi inaugurado. As obras começaram em julho do ano passado e, em dezembro, o teatro foi fechado. Ele será parcialmente reaberto no início de maio para as atrações da Virada Cultural e depois será novamente fechado. Para tanto, restauradores pesquisam as cores exatas de vitrais, pinturas e paredes. "É um trabalho minucioso. Quando é feita uma decapagem em uma sala, descobrimos desenhos que nem sabíamos que existiam. O objetivo não é apenas embelezar, mas fazer um resgate histórico", diz a diretora do Teatro, Beatriz Franco do Amaral. Segundo ela, a fachada já foi pintada de rosa. O tapete, que originalmente era verde, foi trocado por um vermelho na década de 50. As poltronas da plateia são as mesmas há quase cem anos. Os vitrais são a parte mais delicada do restauro. Em uma reforma anterior, eles foram pintados em um tom mais pálido do que o original. Para o restauro, foi contratada a mesma empresa que executou as peças na época, a Conrado Sorgenicht. As madeiras estão sendo envernizadas para impedir infestação de cupins. O teatro também vai ganhar uma nova iluminação externa. A maior parte dos recursos, cerca de 80%, veio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A reforma do palco - que inclui acústica, iluminação e instalação de equipamentos importados de som - vai consumir R$ 16 milhões. Para o restauro de pisos, paredes, vitrais e fachada serão necessários R$ 5 milhões. "Nós reduzimos os investimentos por conta do congelamento das verbas da Prefeitura. Mas foi de uma maneira insignificante, porque a maior parte dos recursos vem do BID", disse ontem o prefeito Gilberto Kassab (DEM) durante vistoria das obras. O objetivo é reabrir o teatro em 2010.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.