Fecomercio-SP pede correções na política econômica

A Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP) afirmou, em nota divulgada nesta segunda-feira, que espera uma nova postura do presidente reeleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com correções na política econômica que levem ao crescimento. A entidade aponta a carga tributária do País como um dos principais entraves a esse objetivo. "Dificilmente isso (o crescimento) será possível com a insuportável carga tributária atual, sem uma reforma previdenciária, sem a efetiva queda dos juros ou a redução da estratosférica dívida pública", afirma Abram Szajman, presidente da entidade.A nota diz ainda que a federação vai entregar à Lula e ao novo Congresso um documento com propostas para o desenvolvimento do País e conclusões de dois ciclos de debates realizados pela Fecomercio-SP, onde foram discutidas medidas e idéias para a inserção do Brasil na economia mundial.Para o presidente da entidade o Brasil precisa evoluir sua política econômica, alinhando-se às economias modernas. "Alinhar o Brasil às modernas economias do mundo é uma tarefa necessária para combater o atraso e melhorar nossas condições de vida", apontou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.