Feira da Abras espera R$ 10 bilhões em negócios

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) inicia na próxima segunda-feira a 36ª edição da convenção nacional do setor, com a ambiciosa previsão de elevar o volume de negócios em 10%. A Expo Abras 2002, de 23 a 26 de setembro, acontece no Rio de Janeiro, no Centro de Convenções Riocentro.O crescimento projetado pela Abras é bem superior ao que a feira vem registrando desde 1998, em porcentuais ascendentes, mas que não ultrapassam 5%. Para este ano, a expectativa é de que as transações cheguem a R$ 10 bilhões, frente aos R$ 8,9 bilhões de 2001.A aposta da entidade deve-se à presença de uma comitiva internacional de 150 executivos, de 25 redes varejistas que vêm à feira como parte da estratégia do governo de elevar as exportações e melhorar os resultados da balança comercial.O otimismo está calcado na desvalorização do real, que bateu em 35% este ano - o que deve estimular os contatos dos estrangeiros com empresas nacionais. A comitiva é patrocinada pela Abras e pela Agência de Promoção de Exportações (Apex).Com a crise econômica e a elevação do dólar, a presença de expositores estrangeiros na feira está encolhendo, o que mostra a redução da participação de produtos importados no mercado brasileiro. Em 2000, eram 334 empresas. No ano passado, 155, e, nesta edição, caiu para 128, pelo menos por enquanto.A convenção vai ocupar um pavilhão a menos do Rio Centro. A área bruta de exposição caiu de 100 mil metros quadrados no ano passado para 90 mil metros quadrados. O total de empresas expositoras é de 600 - 13 a menos do que no ano passado. Em 2000 foi de 732. Em compensação, a previsão de público é maior, de 55 mil pessoas, sendo que em 2001 foram 46,4 mil visitantes, e, em 2000, 49,9 mil.A Expo Abras 2002 tem como tema os 50 anos de vida dos supermercados brasileiros. A feira também será marcada como a última sob gestão de José Humberto Pires de Araújo à frente da Abras. Ele está há quatro anos no cargo, tendo sido reeleito no final de 2000 para o biênio 2001/2002.Dois nomes são cogitados para sucedê-lo: o ex-presidente da associação paulista e dono do supermercado Central, Omar Assaf, e o atual presidente da associação gaúcha, João Carlos de Oliveira. A decisão será anunciada na quarta-feira, durante a convenção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.