Feriado foi de sol no litoral de SP

A volta do sol às praias do Litoral Norte, na manhã desta sexta-feira, brindou os veranistas com um feriado quente e de céu azul. Na Costa Norte de São Sebastião, o dia foi de praticar esportes. Enquanto em Maresias os veranistas aproveitavam o surf e as atividades na areia, em Toque Toque Pequeno o que chamava a atenção era a novidade da temporada: a descida de rapel pela Cachoeira do Canyon, uma aventura a 290 metros de altura, a poucos metros da praia.?Nunca tinha feito e adorei. Recomendo para todo mundo que faça pelo menos uma vez na vida?, disse a técnica de Meio Ambiente, Fernanda de Falco, de 24 anos, que resolveu testar nesta sexta-feira a novidade. O passeio ideal para quem quer um pouco mais de adrenalina do que os tradicionais esportes de praia podem oferecer e gosta de apreciar a natureza.A trilha que leva à cachoeira começa na Rodovia Rio-Santos, na entrada de Toque Toque. São 30 minutos de caminhada até o alto da queda d?água. Para quem não quer saber de aventuras, a vista do mar já vale a subida. ?Quem já tem um pouco de experiência pode descer do alto. Os inexperientes têm a opção de fazer só os últimos 100 metros, mais leve?, diz Horácio Takano, de 37 anos, dono da propriedade onde fica o Canyon e presidente da Confederação Nacional de Reservas Particulares do Patrimônio Natural.A área, apesar de particular, foi considerada uma reserva, em 2001, e é administrada por Takano em parceria com o Ibama.A descida - testada pela reportagem do JT- é feita com a ajuda de dois instrutores e acontece em etapas. As cordas são fixadas no alto da cachoeira e cada um dos integrantes do grupo desce com os pés apoiados na rocha, deslizando pela corda, por alguns metros. A corda é descida e o processo se repete até chegar ao solo.Enquanto esperam, os aventureiros ficam presos a pinos pregados nas rochas com ajuda de equipamento de escalada - que é fornecido por Takano. No meio do caminho não faltam surpresas. Em alguns momentos a rocha tem inclinações ?negativas? - quando o ângulo de inclinação é maior do que 90º em relação ao plano - e não há onde apoiar os pés. É a hora dos gritos e das rezas: ?Ai, Jesus! me ajuda!?, disse Fernanda, prestes a se jogar cachoeira abaixo.Os instrutores, porém, garantem a segurança. ?E só confiar na equipe e no equipamento?, disse Rodrigo Ruiz, de 24 anos, especialista em técnicas radicais, o que não quer dizer que algumas topadas nas pedras não aconteçam. Aventureira nata, Vera Mariano, de 29 anos, chegou ao fim do percurso com os dedos ralados por causa de uma queda. ?Faz parte, com certeza vou voltar.?Além do rapel, os veranistas podem aproveitar um muro montado por Takano na beira da estrada para a escalada artificial e as tirolesas -cabos que vão de uma árvore a outra, por onde se pode deslizar utilizando uma roldana, mas é preciso marcar horário para qualquer uma das atividades.Em Maresias, grupinhos disputavam espaço na areia para jogar futebol, vôlei ou frescobol. ?O dia está ideal para jogar vôlei?, disse Adriana Mateo, de 21 anos. O tempo também foi generoso com o surfista. ?As ondas estavam ótimas?, disse o estudante Adriano Marzo, de 16 anos.A temida chuva, que vem espantando os veranistas e apavorando os comerciantes locais, só chegou às 17 horas. ?O dia parecia que não ia ser bom, mas foi lindo. Me surpreendi?, disse a psicóloga Elisa Gorla, de 31 anos, que aproveitou o sol para se exercitar. Serviço: Rapel no Canyon de Toque Toque Pequeno: Rodovia Rio-Santos, na entrada de Toque Toque. Tel: (11) 9402-1661. O custo da descida de rapel é R$ 55,00 por pessoa. A escalada no muro fica por R$ 10,00.

Agencia Estado,

25 de janeiro de 2002 | 21h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.