Fernandinho Beira-Mar pode estar morto

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, pode estar morto. Segundo o superintendente da Polícia Federal (PF) no Amazonas, Mauro Spósito, há pelo menos 15 dias nem o Exército colombiano nem a Polícia Nacional do País conseguem interceptar ligações telefônicas de integrantes da quadrilha do traficante carioca para as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Acho que ele já está no saco (morto)", diz Spósito. Por meio das Farc, Beira-Mar conseguiu manter-se na Colômbia, trocando cocaína por armas contrabadeadas do Paraguai e do Suriname, com a ajuda do empresário goiano Leonardo Dias Mendonça, que responde em liberdade por tráfico internacional de drogas no Pará. O Exército colombiano vinha monitorando os passos do bandido desde fevereiro, quando foram presos a mulher de Beira-Mar, Elizete Lira, e seu comparsa Ney Machado, o Pitoco, com quem encontraram uma agenda, por meio da qual se decifrou toda a contabilidade da quadrilha.Para o comandante da 4ª Divisão do Exército colombiano, general Arcésio Barrero, o traficante continua vivo, embora não haja informações sobre seu esconderijo. Um alto oficial do Serviço de Inteligência da Polícia Nacional, porém, disse que a última vez que Beira-Mar fez contato com a família foi antes do carnaval. Muito ligado aos 11 filhos, que vivem no Brasil, o traficante chegava a falar com eles diariamente.Hoje, os 11 celulares via satélite usados pelo bandido na Colômbia, incluindo os do comandante guerrilheiro Negro Acácio, estão desligados.

Agencia Estado,

02 de abril de 2001 | 21h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.