Fernandinho Beira-Mar será transferido mais uma vez

O traficante Luís Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, que está isolado numa cela de 6 m², há quase quatro meses, no presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes, interior paulista, vai mudar de endereço. A previsão é de que ele deixe o presídio até o dia 11.Mas seu destino ainda é incerto. O advogado Adalberto Lustosa, um dos defensores do traficante, apontou a carceragem da Polícia Federal de São Paulo como uma possível futura moradia, já que o secretário da Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, Astério Pereira do Santos, negou a transferência do bandido para aquele Estado.Na última sexta-feira, a mudança de Beira-Mar para o Rio foi autorizada pelo juiz corregedor dos Presídios e da Vara de Execuções Criminais da Capital e Comarca de Presidente Prudente, Miguel Marques e Silva, atendendo a uma petição de seu mais novo advogado, Paulo Roberto Cuzzuol. Mas para que a transferência se concretizasse, seria necessária a concordância da Justiça carioca e da governadora Rosinha Garotinho (PMDB). "Há uma promessa do governo federal: Fernandinho Beira-Mar não volta mais para o Rio", lembrou o secretário Santos.Cuzzuol também é defensor de Márcio Nepomuceno, o Marcinho VP, e Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, ambos integrantes do Comando Vermelho. Ele pedia a transferência do traficante alegando um prejuízo processual com a ausência de Beira-Mar no Rio de Janeiro, já que a maioria dos inquéritos e processos a que ele responde é daquela cidade.O advogado Adalberto Lustosa afirmou, porém, que o juiz-corregedor determinou a transferência porque não estaria mais suportando "compactuar com as ilegalidades do Poder Executivo". Lustosa explica que as tais ilegalidades acabariam com a transferência de Beira-Mar para a carceragem da PF. "Isso porque ele tem processos federais. Nesse caso, pode ficar em qualquer carceragem do País. Mas não na penitenciária paulista, porque ele não cometeu crimes em São Paulo."A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) não tinha confirmado a transferência até as 22h desta segunda-feira. A PF não foi ouvida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.