Fernando Dutra confessa e diz que queria melhorar de vida

Fernando Dutra Pinto reconheceu hoje ter sido mentor e chefe da quadrilha que seqüestrou, no fim de agosto, a estudante Patrícia Abravanel, libertada após pagamento de R$ 500 mil, e de ter mantido refém o empresário Silvio Santos. Além dele, outros quatro réus foram interrogados na 30.ª Vara Criminal, no Fórum da Barra Funda, em São Paulo, no processo sobre os crimes contra o empresário e da estudante.No fim da audiência, o juiz Adilson de Araújo indeferiu os pedidos de liberdade provisória feitos pela defesa para Luciana Santos Souza, a ?Jeniffer?, e Tatiana Pereira da Silva. Também negou o pedido de revogação da prisão preventiva de Marcos Batista dos Santos, único acusado que ainda permanece foragido.Fernando e seu irmão Esdras Dutra Pinto foram os únicos réus a confessar total participação no crime. Ambos tentaram isentar Tatiana e Marcos da acusação de seqüestro, e amenizar o papel desempenhado por Jeniffer e Marcelo Batista dos Santos, o Pirata, irmão de Marcos. "A novidade foi a admissão de culpa de Fernando", disse o promotor Dimitrius Bueri.Fernando foi o último a depor. Disse que seqüestrou Patrícia porque queria o dinheiro para melhorar seu padrão de vida, comprando roupas e carros. Negou que Tatiana e Marcos tivessem participado do crime. Segundo ele, Tatiana era apenas uma empregada doméstica contratada para limpar as casas usadas por ele e o irmão - uma em Itapevi e outra em Itaquera. Nelas, a polícia apreendeu planos do seqüestro, coletes à prova de bala e munição. Esdras confirmou sua versão. Segundo a promotoria, a função de Tatiana era cuidar dos esconderijos do grupo. Pelo trabalho, ela receberia uma casa ao fim do seqüestro.Sobre Jeniffer, ele disse que ela só tomou conta do cativeiro porque Patrícia queria uma mulher como guarda. Na lógica da defesa, Jeniffer foi "coagida a participar", porque Patrícia queria uma carcereira. Fernando também negou ter exigido alguma vantagem ao seqüestrar Silvio. "Ele foi obrigado a mostrar as armas", disse a advogada Simone Caparroz. Em depoimento à polícia, Silvio disse que Fernando exigiu um helicóptero e dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.