Festa da canonização de Madre Paulina deve reunir 100 mil

Na maior operação já realizada na região, cerca de 500 homens das Polícias Federal e Estadual estarão mobilizados a partir de amanhã em Nova Trento, 80 quilômetros ao norte de Florianópolis. Estão sendo esperados cerca de 100 mil visitantes neste fim de semana para comemorar a canonização de Madre Paulina, que será exibida, desde Roma, em telões no santuário, distante 6 quilômetros do centro da cidade. No decorrer deste domingo, serão celebradas várias missas, incluindo uma cerimônia campal, e haverá apresentação da Orquestra Sinfônica de Santa Catarina e de grupos folclóricos. De acordo com o inspetor da Polícia Rodoviária Federal Luís Graziano, o maior movimento deverá ocorrer durante o dia de amanhã e na manhã de domingo, já que a cerimônia de canonização em Roma será vista em Nova Trento na madrugada. No santuário funcionarão os postos das polícias militar e civil, construídos especialmente para a ocasião. Como a maior preocupação do delegado Giovanni Tripadalli é com relação a furtos no meio da multidão, haverá policiais à paisana no meio dos visitantes. A PM pretende usar dez carros e 20 motos. Nos arredores do santuário, foram construídos vários estacionamentos, mas só terá acesso quem passar pelo centro de Nova Trento, diante da igreja matriz, e obter uma senha. Assim será feito o controle para evitar a superlotação. Quando o número de veículos atingir a capacidade da área, eles serão retidos e os visitantes terão de prosseguir de ônibus, que estarão à disposição. Madre Paulina tinha 10 anos quando chegou ao Brasil, no ano de 1875. Era a segunda filha da família Visintainer, que se estabeleceu em Nova Trento com outros conterrâneos. Morta em 1942, sua beatificação foi feita em 1991. A rapidez do processo de canonização surpreendeu até os meios religiosos. Nova Trento viu-se então obrigada a correr contra o relógio, com o propósito de melhorar os acessos e a infra-estrutura da cidade, que está se transformando no segundo mais importante destino de peregrinação de católicos no Brasil, perdendo apenas em número de visitantes para Aparecida, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.