Festa de Iemanjá atrai mais de 50 mil em Salvador

Em plena segunda-feira, dia normal de trabalho, a tradicional Festa de Iemanjá, a rainha das águas,realizada no Bairro do Rio Vermelho, na orla marítima da capital baiana, atraiu perto de 50 mil pessoas hoje segundo osorganizadores e a Polícia Militar.Desde que os pescadores que começaram a tradição há mais de 70 anos brigaram com o padre da Igreja do Rio Vermelho, nadécada de 60, o Dia 2 de Fevereiro é o único festejo eminentemente do candomblé do ciclo de festas do verão de Salvador. Mas o sincretismo é mantido pois a festa continua atraindo fiéis de praticamente todas as religiões e de vários estados brasileiros. Cerca de 300 balaios de vime são arrumados num barracão ao lado da colônia de pesca para receber, durante toda a manhã, ospresentes para a rainha das águas. Uma fila quilométrica é formada pelos fiéis que vão pagar promessas, agradecer graçasalcançadas ou simplesmente presentear Iemanjá com flores, perfumes, bijuterias e demais artigos que agradam uma mulhervaidosa. Alguns desses "mimos" são estranhos, como um bolo confeitado, levado por um casal da cidade baiana de Feira deSantana. O presente principal, ofertado pelos pescadores, este ano foi uma imagem de Iemanjá, de um metro e 60 centímetrosde altura. No final da tarde os balaios com os presentes são colocados em barcos e levados a ponto do mar há cerca de trêsquilômetros da praia onde são "arriados". Este ano, o percussionista Carlinhos Brown, apareceu às 6 da manhã no Largo do Rio Vermelho com um dos seus gruposmusicais o Zárabes. Eles saíram do bairro do Candeal por volta das 5 da madrugada e acordaram os vizinhos com muito batuque e rojões. A representação além de ser uma homenagem do músico a Iemanjá também produziu várias cenas para um documentário sobre a vida de Brown que o diretor espanhol Fernando Trueba está filmando em Salvador. Na Espanha, onde faz sucesso, Brown foirebatizado como "Carlito Marron".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.