Festa de São João na Bahia provoca dezenas de feridos

Dezenas de baianos ficaram feridos nas comemorações do São João, queimados com fogos de artifícioou atingidos por balas e armas brancas em brigas nos diversos forrós organizados em Salvador. No interior baiano a cidade de Cruz das Almas, situado no Recôncavo registrou o maior número de queimados devido às terríveis "guerra de espadas" tradição que consiste nos moradores desafiarem o perigo soltando uns contra os outros um fogo de artifício artesanal. A espada, semelhante a um busca-pé é fabricada com tocos de bambu preenchidos com uma mistura de pólvora e limalha deferro. Quando acesas, o jato de fogo provoca um barulho ensurdecedor e além do perigo de queimaduras, a espada causa fraturas de ossos. Somente entre a noite de ontem e a madrugada de hoje, 80 pessoas foram atendidas no Hospital de Cruz das Armas feridos nas "guerra de espadas". Contudo, o caso mais grave entre os doze queimados que foram encaminhados ao Hospital Geral do Estado em Salvadorocorreu no município de Irajuba, a 298 quilômetros da capital e não foi provocado por fogo de artifício: a estudante Angélica de Jesus Santos de 13 anos caiu numa fogueira queimando praticamente todo o corpo. Ela tentava escapar de um vizinho que ameaçava estuprá-la quando ocorreu o acidente. No Bairro do Calabar, próximo à orla marítima da capital baiana uma briga entre desconhecidos que bebiam numa área em que se comemorava o São João resultou num tiroteio que feriu a bala quatro pessoas, todas medicadas e fora de perigo. Os médicos do setor de queimados do Hospital Geral do Estado disseram que o surpreendente deste ano nas festas juninas está no fato do número de agressões ser tão grande quanto os de queimaduras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.