Festa do Divino deve receber 1,4 milhão de pessoas em Trindade

Começou nesta sexta-feira a celebração da Festa do Divino Pai Eterno. Trata-se da maior romaria do Centro-Oeste, que deverá reunir cerca de 1,4 milhão de pessoas numa das maiores celebrações católicas do País na cidade de Trindade, em Goiás. A festa termina em 2 de julho e, durante os dez dias serão rezadas 127 missas, 46 novenas, e realizadas dezenas de procissões, centenas de batizados e alguns milhares de confissões."A Festa do Divino Pai Eterno começa, este ano, com o tema ´Deus Pai é Amor´, que tem como fundamento a primeira encíclica do papa Bento XVI, Deus caritas est", explica o arcebispo metropolitano de Goiânia, dom Washington Cruz.Segundo o arcebispo, neste ano deverá ocorrer o anúncio da data da transformação do Santuário em Basílica do Divino Pai Eterno, inaugurada em 1974. O título foi concedido pelo Vaticano.A cidade de Trindade, com pouco mais de 100 mil habitantes, se localiza na região metropolitana de Goiânia. A capital e a cidade são interligadas pela Rodovia dos Romeiros, com percurso de 18 quilômetros, que os romeiros percorrem a pé e em fila. O caminho é decorado por painéis representando as estações da Via Sacra, a Paixão de Cristo.De acordo com dados históricos a cidade de Trindade, antiga Barro Preto, tornou-se centro religioso em 1840. Foi quando um casal, que trabalhava na lavoura, encontrou um medalhão de barro de aproximadamente 8 centímetros de diâmetro com uma suposta representação da Santíssima Trindade. A notícia espalhou e deu início à comemoração festiva.Carros de BoiUm dos pontos altos da Festa do Divino Pai Eterno é a entrada de mais de 300 carreiros, vindos de diversas cidades do interior do Estado de Goiás, que participam do tradicional desfile de carros de boi. Os primeiros romeiros, que vieram a Trindade no Século XIX, chegaram de carro de boi.Este ano os carreiros sairão da Rua 16 de julho, no centro da cidade, para depois passar pela Matriz (santuário antigo), subir a rua Santo Antonio, no bairro Santo Onofre, e seguir até o carreiródromo de Trindade.A cidade não vive somente em torno da cantiga das rodas dos carros de boi e da fé, que leva milhares de pessoas a lotar as igrejas. As procissões, novenas, retiros e missas, na maioria das vezes, são partilhadas pelo consumo de cerveja e outras bebidas alcoólicas, além de festas com danças da catira, roda de violeiros, leilões, bingos, bailes, sanfoneiros e torneios de truco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.