Festa em povoado vizinho evitou mortes

Moradores de Caraíbas participavam de comemoração em Vargem Grande

Eduardo Reina e Mônica Aquino, O Estadao de S.Paulo

10 de dezembro de 2007 | 00h00

Uma festa em Vargem Grande, com a participação de moradores de Caraíbas, distrito de Itacarambi onde ocorreu o epicentro do terremoto, evitou que houvesse mais mortes, acredita o cabo Gleison Amaral do Nascimento, da Polícia Militar. "Só não morreu mais gente lá por causa da festa. Muitas pessoas não estavam em casa na hora do tremor", diz. "Aqui tremeu, mas lá acabou tudo", disse Dácio Lisboa Lima, 44 anos, dono de uma mercearia em Vargem Grande, distrito a 34 quilômetros de Itacarambi. Depoimentos e fotos Luiz Carlos da Costa Seixas, que mora com a mulher e a filha numa fazenda em Vargem Grande, deixou o local correndo. Ele foi abrigar-se na casa da mãe, que fica no centro. O abalo rachou paredes da casa de Seixas e derrubou parte do telhado. "Ele ficou com medo e veio para a cidade", contou sua irmã Nozídia da Costa Seixas. Outros abrigaram-se em creches da prefeitura, como a estudante Maria do Socorro Souza, de 25 anos. "O quintal da minha casa estava tremendo. Quando cheguei na casa da minha irmã, ela tinha desabado. Por sorte, ela só teve um ferimento na cabeça", contou Maria do Socorro.O tremor foi sentido nos povoados de Brejo de Santana, onde moram 94 famílias; Riachão e Pajeú, com 28 famílias; Fabião, com 215, e Caraíbas, onde vivem apenas 9. Moradores dos municípios vizinhos de Januária e Manga também sentiram o abalo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.