FHC esquece o passado ao falar em reforma política, diz Berzoini

O presidente nacional do PT, deputado federal Ricardo Berzoini, minimizou a proposta do ex-presidente Fernando Henrique de se fazer "um Plano Real" para a política brasileira. Segundo ele, o fato de FHC falar agora em fazer uma reforma política, seguindo a mesma estratégia adotada por seu governo na área econômica, seria esquecer o que aconteceu no passado do País."Ele querer falar agora em um Plano Real para a política só pode ser querer esquecer a marca de seus oito anos de governo", disse Berzoini. Na avaliação do presidente do PT, FHC teve chances de realizar a reforma política em seus dois mandatos mas, em vez disso, fez como única mudança na área a implantação do sistema de reeleição. "Esta foi a única reforma política que ele fez", afirmou.Berzoini também comentou a disposição do presidente Lula em convocar uma assembléia constituinte exclusiva para realizar a reforma política após as eleições de outubro. Para ele, esta é uma alternativa viável, mas que deixaria de ser necessária caso houvesse um comprometimento dos partidos de votar mudanças no sistema político atual. "Se houver um pacto entre os partidos logo após a eleição que permita votar três ou quatro itens essenciais a constituinte exclusiva se torna desnecessária", disse o deputado.Para Berzoini, pelo menos três elementos precisam constar na lista de mudanças promovidas por uma reforma nessa área. O primeiro, segundo ele, é a fidelidade partidária, seguida do financiamento público de campanha. O terceiro ponto é a mudança na forma como é gerido o orçamento da União, de forma a priorizar o debate em torno de questões estruturais, pondo fim a emendas parlamentares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.