FHC promete guerra ao crime em programa de rádio

O presidente Fernando Henrique Cardoso destacou, no seu programa semanal de rádio "Palavra do Presidente", o empenho do governo federal em resolver o problema da violência no País. "Será uma guerra contra o crime e pela paz na sociedade", disse Fernando Henrique, ao anunciar a criação de uma força-tarefa, "à semelhança do que fizemos com a crise de energia" para resolver, sem entraves burocráticos, ?as dificuldades para o combate à violência". Inicialmente, segundo o presidente, essa força-tarefa vai unir a Polícia Federal, as polícias de São Paulo, o Banco Central e a Receita Federal. "Isso tudo com o objetivo de acabar com a violência, de acabar com a insegurança, de fazer com que o Brasil volte a ser um país de paz". O presidente destacou também algumas medidas discutidas durante reunião com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e alguns ministros. Citou, por exemplo, a proibição do uso do telefone celular pré-pago, que, segundo o presidente, passou a ser usado como instrumento do crime, e a decisão de acelerar a autorização para o uso de bloqueadores de celulares, "para impedir a comunicação entre presidiários e os seus cúmplices fora da cadeia".Fernando Henrique ressaltou também a necessidade de uma ação mais ágil e eficaz do governo federal e dos governos estaduais para separar os criminosos mais perigosos dos presos comuns. O presidente reconhece que essas medidas não são suficientes para resolver a questão da segurança, e que muitas providências precisam ser tomadas também pelos Estados e municípios. "São medidas que dizem respeito às condições de iluminação das ruas, às condições do modo pelo qual a população interage com a polícia", afirmou. Fernando Henrique anunciou também que o governo federal está disposto a financiar uma parte dos guardas de presídios em São Paulo para que os agentes possam ser enviados às ruas para garantir a segurança da população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.