FHC vai inaugurar Centros Integrados de Segurança

O presidente Fernando Henrique Cardoso inaugura, na quinta-feira, dois Centros Integrados de Operação de Segurança (Ciops) na região do entorno do Distrito Federal. Esta medida faz parte de uma série de anúncios que o governo quer fazer esta semana para dar uma demonstração à população de que está se mobilizando para combater a violência. Hoje, uma reunião técnica foi realizada no Ministério da Justiça para iniciar uma avaliação detalhada do Plano Nacional de Segurança Pública, destacando os seus pontos prioritários.Ainda dentro dessa estratégia de mostrar a importância do combate à criminalidade, o presidente Fernando Henrique quer tratamento especial no orçamento para os projetos da área de segurança, que não deverão sofrer cortes. Na quarta-feira, na reunião ministerial, o presidente deverá citar, em seu discurso, a preocupação do governo com o setor. A reunião ministerial foi originalmente marcada para fazer um balanço dos 50 programas do Avança Brasil e traçar as metas para 2002. A presença de Fernando Henrique, na inauguração dos dois primeiros centros integrados na Cidade Ocidental e no Novo Gama, no entorno do DF, é simbólica. O presidente quer dar uma demonstração de que a integração entre as polícias é um dos pontos considerados fundamentais pelo seu governo para diminuir a criminalidade. O ministro da Justiça, Aloysio Nunes, já havia anunciado que os Estados que não atenderem às exigências fundamentais do Plano de Segurança - e integração dos comandos das polícias civil e militar é uma delas - não receberão recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública. Essa verba tem sido destinado para o reequipamento das polícias e treinamento de pessoal.Nos dois centros integrados de operação de segurança, que serão inaugurados na quinta-feira, as polícias civil e militar de Goiás irão trabalhar em conjunto, ao lado também do Corpo de Bombeiros. A idéia é que uma pessoa que precise de algum tipo de socorro possa ligar para um único número, o 190, que distribuirá o problema para o setor que assumirá o caso. Quarta-feira, os primeiros centros começarão a funcionar em Goiânia. Lá, 26 delegacias serão transformadas em Ciops. Nestes casos, os PMs, quando se dirigirem para trabalhar, não irão mais para os quartéis, mas para os Ciops. Os quartéis serão transformados em centros de treinamento. No entorno do DF, 13 outros centros serão inaugurados este ano, e todos terão, mediante convênio de cooperação, ligação com os centros de operação de Brasília.O governo estuda ainda como poderá dar mais poderes ao Conselho Nacional de Segurança Pública, órgão vinculado ao Ministério da Justiça. O conselho deve passar a fazer um acompanhamento mais efetivo das ações que os estados estão desenvolvendo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.