Ficha limpa ganha urgência e pode ser votada no Senado

O projeto Ficha Limpa, que impede candidatura de políticos condenados pela Justiça, pode ser votado hoje no plenário do Senado. A proposta ganhou urgência dos líderes partidários e deve passar na frente dos quatro projetos do pré-sal, mas, hoje de manhã, será votada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2010 | 00h00

 

"É possível que o Ficha Limpa seja votado amanhã (hoje) no plenário. Vamos ter de fazer acordo e negociar um calendário para votação do pré-sal", afirmou o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Antes do Ficha Limpa, o líder quer votar quatro medidas provisórias que trancam a pauta do Senado, incluindo a que estabelece salário mínimo de R$ 510 e a que dá reajuste de 7,71% aos aposentados.

 

A questão de ordem para que o Ficha Limpa seja votado em sessão extraordinária na frente dos projetos do pré-sal, que têm urgência, foi apresentada pelo líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio Neto (AM).

 

Mas o líder do DEM, senador José Agripino Maia (RN), disse ser "pouco provável" que dê para votar o Ficha Limpa ainda hoje no plenário. / EUGÊNIA LOPES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.