Fichário de informantes não será aberto ainda

Nem todo o material recolhido no Palácio da Polícia na cidade de Santos pelo Arquivo do Estado será aberto de imediato para a consulta do público. Do total de quase 450 caixas de documentos que foram transferidas para o Arquivo Público do Estado, na capital paulista, cerca de 150 delas ainda estão sendo submetidas a análise.

Roldão Arruda, O Estado de S.Paulo

22 Agosto 2011 | 00h00

Esse procedimento se deve ao fato de o material contido nessas caixas não se enquadrar no padrão comum - que é formado por fichas e seus respectivos prontuários. De acordo com a diretora do Núcleo de Acervos Públicos do Arquivo do Estado, Rafaela Leuchtenberger, o objetivo agora é descobrir padrões novos para classificar o que está nessas caixas.

Na semana passada, já se sabia que parte desse material encontrado em Santos compõe um fichário composto de nomes de zeladores, porteiros e vigias de edifícios públicos e particulares. Eram pessoas que atuavam como informantes da polícia política e colaboravam com a coleta de dados a respeito dos suspeitos de fazer oposição ao regime militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.