Figurões do axé passam longe da crise econômica, investem nos trios e têm abadás esgotados

A crise econômica mundial já provocou algumas baixas no carnaval baiano. O tradicional Bloco Beijo, por exemplo, anunciou que não vai desfilar neste ano, depois de perder um grande patrocinador. Mas a falta de verba passa longe dos figurões da chamada axé music, como Ivete Sangalo e Asa de Águia. "No nosso grupo não há crise", conta Ivete. "Meus blocos estão vendendo 20% a mais do que no ano passado e conseguimos comercializar 30% a mais em patrocínios." Para comprovar a boa fase, a cantora chega ao carnaval 2009 esbanjando. Mandou construir um novo trio elétrico, todo em alumínio, orçado em R$ 2,5 milhões. Nele, foi instalado um palco de 130 metros quadrados, passarelas e um camarim com TV via satélite, entre outras regalias. O sistema de som tem 300 alto-falantes e 343 mil watts de potência. Além disso, Ivete mandou banhar a ouro seu microfone e as ferragens dos instrumentos dos músicos que tocarão no trio. Ainda há ingressos disponíveis para suas apresentações nos blocos Cerveja & Cia, no sábado de carnaval, e Coruja, de domingo a terça-feira. Cada abadá custa entre R$ 450 e R$ 1.300. Na Quarta-Feira de Cinzas, ela participa do arrastão de trios. O show é gratuito. Também despreocupado com a crise mundial, o Asa de Águia já tem os abadás esgotados. A banda se apresenta na quinta-feira e no sábado de carnaval no CocoBambu e de domingo a terça-feira no Me Abraça. Os blocos comportam 3.800 foliões a cada saída. LULA VAI AO RIO "Eu vou sambar os quatro dias (respondendo se vai ao sambódromo carioca neste ano). Quando conheci a Marisa, as pessoas me chamavam de ?pé-de-valsa?" Luiz Inácio Lula da Silva Presidente da República

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.