Filha de Cacciola encontrada morta. O pai não pode voltar

A filha mais nova do primeiro casamento do banqueiro Alberto Salvatore Cacciola, Milene Cacciola, foi encontrada morta hoje numa trilha na Pedra Bonita, na Gávea, na zona sul. Pilotos de asa-delta avistaram o corpo pela manhã, no caminho que leva ao platô de decolagem do local. Eles alertaram o Grupamento Florestal do Corpo de Bombeiros, que resgatou o corpo da jovem, de helicóptero, horas depois. Não havia marcas aparentes de violência, mas ela estava sem os documentos e descalça. Vestia uma calça preta, uma blusa branca e meias. Segundo o coronel das Unidades Especiais do Corpo de Bombeiros, Marco Aurélio Silva, o local em que Milene foi encontrada é tranqüilo. Cacciola, que também tem cidadania italiana, fugiu do Brasil depois do escândalo envolvendo o Banco Marka, do qual era proprietário. Ele foi preso depois de investigação sobre uso de informação privilegiada na época da mudança da política cambial em fevereiro de 1999. O banqueiro conseguiu habeas-corpus para sair da prisão e fugiu do País. Recentemente, numa entrevista, dada por e-mail, à revista IstoÉ Dinheiro, disse estar operando no ramo de hotelaria na Itália. Cacciola não poderá regressar ao País para acompanhar o sepultamento da filha, sob o risco de ser novamente preso. Milen e era a mais nova dos três filhos do primeiro casamento do banqueiro. Os outros dois são Fabrício e Rafaela.Perícia - A direção do Instituto Médico-Legal (IML) informou ter encontrado pequenos grãos no estômago de Milene, identificados visualmente como chumbinho, um tipo de raticida, o que levou os peritos a acreditarem que ela tenha morrido por envenenamento. O material passará por análise laboratorial e o resultado sai em dez dias úteis. Reservadamente, parentes de Milene, que estiveram no IML para identificar o corpo, admitiram a hipótese de suicídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.