Filha de casal cubano chega ao País

A menina cubana Sandra, de 11 anos, chegou às 10h20 de hoje em sua nova residência, no Jardim Proença, um bairro de classe média, em Campinas, para morar definitivamente com os pais Vicente Becerra Sablón e Zaida Jova. Sentindo ainda o enjôo das oito horas do vôo entre Havana e Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, a garota não disse nenhuma palavra e foi descansar em seu novo quarto. Os pais, porém, fizeram questão de colocar música cubana para receber a garota. A satisfação do casal em viver novamente com a filha só foi quebrada com o ciúmes repentino do filho Daniel, de 3 anos, que ainda não conhecia a irmã. "É natural que isto ocorra, afinal ele vai ter que dividir agora o espaço com ela", disse o pai. Sablón fez questão de agradecer o apoio que recebeu das autoridades brasileiras que se empenharam para ter o final feliz de uma longa disputa do casal junto ao governo cubano, que durou cerca de quatro anos, para que Sandra viesse morar, definitivamente, com eles no Brasil. "Muitos nos apoiaram para ter novamente a nossa filha". Os pais da menina fazem doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e, desde 1997, tentavam a liberação da garota que, agora, a exemplo do casal, são considerados "inimigos" do regime cubano. O episódio serviu para revelar outra faceta do País comandado por Fidel Castro. "Lá, agora, somos considerados criminosos e não podemos voltar", disse Sablón. "Apesar de tudo, sou cubano e vou continuar gostando do meu País".Os pais, agora, vão esperar por um período de seis meses, para matricular a menina em uma escola de Campinas. "Antes ela vai aprender um pouco do Português e também se adaptar aos novos costumes", prosseguiu o pai. Em Cuba, a garota cursava o quinto ano do ensino básico.Sandra deixou a casa das avós maternos, em Santa Clara - a 200 km de Havana - no início da noite ontem. Apesar de ainda confusa, por causa do fuso horário e também do enjôo, a menina foi recebida em seu novo lar ao som de música cubana. A família previa uma festa de confraternização, com os amigos, no período da tarde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.