Filha de ex-ministro é presa acusada de envolvimento na morte dos pais

Em 2009, José Guilherme Villela, Maria Carvalho Mendes Villela e a empregada da família foram encontrados mortos a facadas no apartamento onde moravam, em Brasília

Solange Spigliatti, Central de Notícias

27 Janeiro 2011 | 15h46

SÃO PAULO - A Polícia Civil do Distrito Federal, com apoio de policiais da Polinter, no Rio, prendeu na manhã desta quinta-feira, 27, a arquiteta Adriana Vilella, acusada de envolvimento na morte de seus pais, o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), José Guilherme Villela, e Maria Carvalho Mendes Villela, além da empregada da família, Francisca Nascimento da Silva, em 2009.

 

Segundo a Polícia, a prisão ocorreu no bairro de Ipanema por cumprimento de decisão judicial. De acordo com o Tribunal de Justiça, o mandado de prisão foi expedido pelo juiz do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, Fábio Francisco Esteves, na última terça-feira, 25, e concedido no mesmo dia.

 

Adriana foi levada para a Polinter e deve ser transferida para Brasília. José, Maria e Francisca foram assassinados com 73 facadas em 28 de agosto de 2009 no apartamento onde moravam, situado numa quadra nobre de Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.