Filha de mulher morta por cães nega maus-tratos aos animais

A radialista Mônica Sampaio, de 43 anos, filha da advogada aposentada Maria da Glória Gaspar, de 77 anos, que morreu segunda-feira após ataque de nove cães no quintal do apartamento onde as duas moravam, apresentou nesta terça-feira notas fiscais recentes de compra de ração e de vacinação dos cachorros, com a intenção de rechaçar a hipótese de maus-tratos dos animais. Ela disse que a família estava tentando doar os sete filhotes que também estavam na casa. Dez pessoas foram ao enterro de Maria da Glória no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul do Rio. Mônica morava com a mãe e duas crianças, uma delas de oito anos, em um apartamento de subsolo em Laranjeiras, na zona sul.Mônica afirmou que os cães, uma mistura das raças sheepdog, boxer e labrador, sempre foram "dóceis". "Nós duas criávamos, eles nunca precisaram ser presos, conviviam com as crianças. Eram alimentados direitinho, a gente gastava 180 quilos de ração por mês." Indagada sobre a provável causa do ataque, ela disse: "Pergunte a Deus, ele ainda não me respondeu." Mônica apresentou três notas recentes de compra de ração e uma de vacinação de 23 de outubro. Parentes e vizinhos serão chamados para depor na 9.ª Delegacia de Polícia. O atestado de óbito de Maria da Glória aponta como causas da morte hemorragia externa, lesões nos membros superiores e inferiores direitos e ação de instrumento perfurante e contundente."A morte é uma coisa natural, mas dessa forma que ocorreu é uma tragédia, não tenho mais o que dizer", declarou Cleuton Sampaio, pai de Mônica, que estava separado de Maria da Glória havia 37 anos. O cães foram apreendidos por bombeiros e levados para um depósito da prefeitura.PitbullsA comerciante Verônica Ferreira Pereira, de 34 anos, que foi atacada na segunda-feira por dois cães da raça pitbull na Barra da Tijuca, zona oeste, continuava internada na Clínica São Bernardo, no mesmo bairro. Ela sofreu ferimentos no rosto, seios, braços e pernas e passou por três horas e meia de cirurgias plásticas. De acordo com o diretor da clínica, Paulo Krull, a paciente está bem clinicamente, porém ainda um pouco deprimida por causa do ataque. Apesar dos edemas no rosto e na vista, o médico informou que Verônica não corre risco de perder a visão. A previsão é a de que ela permaneça internada por mais cinco dias para que os ferimentos sejam tratados e não haja risco de infecção.A dona dos cães, Alexandra Mendes de Carvalho, foi presa em flagrante e autuada por omissão de guarda dos animais e lesão corporal grave. Se for condenada, a pena varia de dois a oito anos de prisão. Segundo vizinhos, o portão da casa de Alexandra não tem fechadura e os cachorros ficavam soltos no quintal. Os dois pitbulls foram mortos a pauladas por moradores.Verônica foi atacada quando levava o lixo para um depósito a poucos metros da sua casa. Segundo Valéria Pereira, a irmã conseguiu segurar os animais por alguns minutos até não agüentar mais. "Quando ouviu a minha voz ela começou a gritar por ajuda. Foi desesperador ver aquela cena", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.