Reprodução/Redes sociais
Reprodução/Redes sociais

Filha de piloto de avião com Marília Mendonça homenageia pai em post: 'Meu maior medo era te perder'

'Agora já não tenho mais medo de nada. Estamos juntos sempre', completou Vitória Medeiros em publicação nas redes sociais

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2021 | 10h21

Uma das filhas do piloto Geraldo Martins de Medeiros Júnior, que comandava o avião cuja queda resultou na morte da cantora Marília Mendonça e de outras quatro pessoas, usou as redes sociais para se manifestar sobre o falecimento do pai em acidente ocorrido nesta sexta-feira, 5.

"Meu maior medo era te perder", escreveu Vitória Medeiros em homenagem publicada na manhã deste sábado, 6. "Agora já não tenho mais medo de nada. Estamos juntos sempre", completou em publicação que reúne fotos com o pai.

Em uma postagem anterior, compartilhada nas redes ainda nesta sexta, dia do acidente, ela fez outra homenagem. "O senhor fez tudo. Sua presença é ilustre. Meu herói. Amor da minha vida", escreveu Vitória sobre Geraldo de Medeiros Júnior.

Além do piloto e da cantora Marília Mendonça, o acidente aéreo culminou na morte de mais três passageiros: o produtor Henrique Ribeiro, o assessor Abicieli Silveira Dias Filho, que também era tio de Marília, e o co-piloto Tarciso Pessoa Viana. 

O avião decolou de Goiânia com destino a Caratinga, onde Marília teria uma apresentação esta noite. A aeronave caiu em uma cachoeira próxima à cidade de Piedade da Caratinga, a cerca de 300 quilômetros de Belo Horizonte.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais recebeu um chamado para atender à ocorrência por volta de 15h30. Todos os cinco passageiros morreram no local.

Na queda, o avião chegou a atingir linhas de transmissão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A Polícia Civil de MG disse que encontrou destroços de uma antena de energia elétrica. Ainda não se sabe o que motivou o acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.