Filho caçula, político novato, já acumula fortuna de US$ 2,1 bi

PERFIL

Irany Tereza / RIO e Flávia Tavares / SÃO PAULO, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2010 | 00h00

Guilherme Leal

Empresário, presidente e um dos donos da Natura

Com 29 anos, em 1979, Guilherme Peirão Leal se tornou sócio da Natura, então uma pequena loja da rua Oscar Freire, em São Paulo, fundada dez anos antes por ideia do economista Antonio Luiz da Cunha Seabra. Hoje, aos 60 anos, Leal acumula uma fortuna que o credencia a participar da lista dos mais ricos do mundo, produzida pela revista norte-americana Forbes e experiências suficientes para entrar numa corrida eleitoral.

Ele estreou na lista em 2006, com uma fortuna avaliada em US$ 1,4 bilhão. Na classificação deste ano, era um dos 18 brasileiros a constar da relação, na 463ª posição, com US$ 2,1 bilhões. A riqueza foi adquirida com a Natura, que se transformou nas últimas décadas e se tornou líder no mercado de cosméticos no Brasil. Desde 2004, a empresa abriu capital, com ações negociadas no Novo Mercado, o nível de maior exigência de governança corporativa da Bolsa de Valores de São Paulo.

O agora pré-candidato a vice-presidente afastou-se das funções executivas na empresa em 2004, bem como Seabra e o terceiro sócio da Natura, Pedro Luiz Barreiros Passos, e tornou-se copresidente do conselho de administração da Natura.

Engajamento. Na década de 1980, o empresário fez parte do Pensamento Nacional de Bases Empresariais (PNBE), núcleo de discussão de caminhos para o aprofundamento da democracia no País - e fazer um contraponto à atuação da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Além da atuação na empresa que ajudou a fundar, o empresário participou da criação e desenvolvimento de organizações ligadas à sustentabilidade e meio ambiente. É fundador e membro do conselho do Instituto Ethos - Empresas e Responsabilidade Social, integrante dos conselhos da WWF-Brasil e atual presidente do conselho do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio). Foi por meio do envolvimento com causas sociais e ambientais que conheceu a companheira de chapa, Marina Silva.

Convidado pela senadora para ser o vice, Leal hesitou inicialmente. Mas optou por ao menos se tornar disponível para essa possibilidade, filiando-se ao PV com Marina, em agosto de 2009.

A busca por um empresário reconhecido como vice-presidente segue estratégia adotada pelo PT na primeira eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, quando a escolha de José Alencar contribuiu para reduzir resistências com relação à candidatura de esquerda. Com Alencar, Lula venceu as eleições presidenciais após três tentativas frustradas,

Precoce. O empresário nasceu em Santos, é o caçula de quatro irmãos e tem cinco filhos. É formado em administração de empresas pela Universidade de São Paulo (FEA-USP) e dono de cerca de 25% das ações da Natura. Ele trabalhou em instituições financeiras e na antiga Fepasa, companhia estatal de transportes ferroviários, antes de se tornar sócio, com o fundo de garantia da estatal e a venda de um pequeno terreno, do pequeno laboratório e loja abertos por Seabra em 1969.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.