Filho de fazendeiro é assassinado na feira em Alagoas

Diego Fidélis - como era conhecido na cidade - possui, conforme a Polícia Civil, envolvimento em delitos

Ricardo Rodrigues, da Agência Estado,

18 de agosto de 2007 | 12h59

O filho do fazendeiro Fernando Fidélis, Diego Ramires de Freitas, de 22 anos de idade, foi assassinado hoje pela manhã, na feira livre da cidade de Viçosa, a 96 quilômetros de Maceió. Diego Fidélis - como era conhecido na cidade - possui, conforme a Polícia Civil, envolvimento em delitos. Diego foi morto com pelo menos dez tiros, disparados por pistoleiros que usaram uma moto preta para cometer o crime e fugir.   O pai de Diego, Fernando Fidélis, ficou conhecido por envolvimento com crimes de mando em Alagoas e foi assassinado a tiros, em outubro de 2005, dentro do presídio Baldomero Cavalcanti, onde cumpria pena acusado de participação em uma chacina. O fazendeiro era acusado também de participação na morte do tributarista Sílvio Vianna, mas foi morto antes de ir a julgamento pelo crime, ocorrido em 28 de outubro de 1996, em Maceió.   O ex-deputado federal João Lyra também responde a processo pelo assassinato de Viana como suposto mandante do crime. A queixa-crime contra Lyra foi feita ao Supremo Tribunal Federal em junho de 2006, quando ele ainda tinha foro privilegiado, mas como o usineiro perdeu o mandato, o processo foi devolvido a Alagoas, onde tramita no Ministério Público Estadual e encontra-se em fase de diligência.   A participação de Lyra nesse crime foi lembrada pelo senador Renan Calheiros, no início da semana, quando ele rebateu as acusações do usineiro de que o chamou de 'fora da lei'.   Um outro filho do fazendeiro, Fernandinho Fidélis, 25 anos, sofreu atentado a bala há poucos dias, nas imediações do Conjunto Mutirão, em Cajueiro (AL). Ele é considerado pelo Ministério Público (MP) uma das testemunhas chaves para o esclarecimento da morte do pai e o assassinato do pistoleiro Cícero Belém. A viúva do fazendeiro, Tânia Fidélis, há mais de dois anos vem denunciando às autoridades ameaças de morte contra ela e os filhos.   O fazendeiro Fernando Fidélis foi morto por um outro detento: o presidiário Edson dos Santos, o Pé-de-cobra, que assassinou o ex-presidiário e fazendeiro a tiros. O caso gerou um inquérito onde foram ouvidos diversas autoridades da segurança pública da época, entre elas, o ex-diretor da Polícia Civil, Robervaldo Davino e o delegado Valdir da Silva Carvalho. O caso nunca foi esclarecido a contento.   A Polícia Civil de Alagoas acredita que Diego Ramires também tem envolvimento em crimes, inclusive em um homicídio ocorrido no bairro de Ponta Verde, em Maceió, que seria o assassinato de uma mulher. A Polícia Civil de Alagoas tenta aprofundar as investigações no município. O local do crime foi isolado e nenhuma outra pessoa ficou ferida durante os disparos. Os policiais chegaram a perseguir os criminosos, mas eles conseguiram despistá-los e desapareceram.

Tudo o que sabemos sobre:
Alagoas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.