Filho de seqüestrador é seqüestrado em SP

Quatro anos depois de seqüestrar e matar o menino Ives Yossiaki Ota, de 8 anos, o ex-soldado da Polícia Militar Paulo de Tarso Dutra, de 34 anos, enfrentou crime semelhante ao que praticou.Seu filho, o estudante P.T.D.J., de 15 anos, foi seqüestrado na sexta-feira, no Tatuapé, e libertado pela polícia, nesta terça-feira, do cativeiro na Rua Domingos Paiva, em Guaianases, na zona leste da capital.Os seqüestradores exigiam R$ 400 mil. "Eu disse que não tínhamos dinheiro, porque o pai está preso, mas eles insistiam no pagamento", informou Rubens de Oliveira Almeida, tio do adolescente.Os seqüestradores, Randal Juliano Pessoa das Neves, de 20, e A.C.S., de 17, presos no cativeiro, indicaram à Divisão Anti-Seqüestro (Deas) outras duas pessoas que estão sendo procuradas.A polícia foi avisada após o primeiro telefonema. Com a condenação de Dantas a 43 anos e 2 meses pela morte de Ives, P. passou a morar com o tio, que é empresário do ramo da construção.Rosângela de Oliveira Almeida, a mãe do estudante, explicou que desde o dia do seqüestro, o ex-militar "ficou desesperado", querendo notícias do filho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.