Filhos suspeitam que Alcântara Machado foi envenenado

A cremação do corpo do empresário Caio Alcântara Machado, que morreu quarta-feira, em São Paulo, foi suspensa hoje por 15 dias, pela juíza Ivana David Boriero. Ela concedeu liminar numa ação cautelar promovida pelos dois filhos do empresário. Eles suspeitam que o pai foi envenenado.A juíza determinou a instauração de inquérito policial e que o corpo seja autopsiado pelos peritos do Instituto Médico-Legal (IML).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.