Fiscais acham fábrica clandestina de explosivo em pedreira

Fiscais da Subdelegacia Regional do Trabalho de Sorocaba interditaram hoje uma fábrica de explosivos que funcionava clandestinamente em uma pedreira de granito localizada no município de Salto. A fábrica estava instalada em um barraco, no meio da mata, e tinha uma espécie de laboratório rudimentar. Funcionários sem qualquer equipamento de segurançamanuseavam produtos como salitre, enxofre e carvão vegetal para produzir explosivos caseiros, usados para arrebentar as rochas. A fabricação e uso desse tipo de detonador são proibidos. A pedreira não possuía, ainda, técnico responsável pela segurança, nem registro dos funcionários. Os responsáveis foram notificados para interromper a atividade clandestina e regularizar a situação dos trabalhadores no prazo de 30 dias. A equipe de fiscais, coordenada pelo subdelegado regional VitórioJosé Catai, foi à região para apurar denúncias de exploração do trabalho infantil. As pedreiras fiscalizadas ficam nas margens da Rodovia Dom Gabriel, entre as cidades de Salto e Cabreúva, região de grandes afloramentos de rochas. Não foram encontradoscrianças e adolescentes trabalhando no local. Apenas um rapaz menor de idade estava na área de corte das pedras, mas elecomprovou ser filho de um dos funcionários e que se encontrava no local apenas de passagem. Os fiscais detectaram várioscasos de empregados sem registro na carteira de trabalho e de falta de equipamentos de segurança, além de instalaçõesinsalubres. Os donos das pedreiras foram notificados e, na próxima fiscalização, podem ser multados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.