Fiscais do trabalho e agentes da PF assaltados no PA

Doze homens fortemente armadosassaltaram no sábado dez fiscais do Grupo Móvel do Ministério doTrabalho de Brasília e agentes da Polícia Federal, numa estradade Marabá, no sul do Pará. Os agentes do governo estavam em trêsveículos e investigavam denúncias sobre a existência de trabalhoescravo em fazendas da região quando foram surpreendidos pelosassaltantes. Com escopetas e pistolas apontadas para suas cabeças, ospoliciais federais foram obrigados a entregar suas armas aosbandidos, que fugiram com dinheiro, celulares e documentos dogrupo. Antes furaram os pneus dos veículos oficiais para evitarperseguição. O chefe dos fiscais do Grupo Móvel, Paulo Cesar Lima,comunicou o fato ao Ministério do Trabalho. O ministro daJustiça, Miguel Reale Júnior, pediu empenho da Polícia Federalpara prender os criminosos, que segundo informações provenientesde Marabá fariam parte de um grupo acostumado a praticarassaltos contra caminhoneiros e ônibus que circulam pelasestradas despoliciadas da região. O que mais chamou a atenção dos agentes federais foi ofato de o assalto ter ocorrido numa área onde centenas detrabalhadores escravos foram libertados de diversas fazendas nosúltimos três meses. A maioria dessas fazendas costuma contratarpistoleiros para fazer a segurança das propriedades. Depois que a informação sobre o assalto chegou à sede daPF em Marabá, vários agentes, fortemente armados, foram até olocal na tentativa de localizar os assaltantes. Até o começo datarde de hoje ninguém havia sido preso. "Estou surpresa com isso. Há 20 dias nós participamosde um seminário em Marabá sobre o trabalho escravo. E apoiamos oGrupo Móvel para continuar seu trabalho na região", afirmou asubprocuradora-geral da República e procuradora federal dosDireitos do Cidadão, Maria Eliane Menezes de Farias. O coordenador da Comissão Pastoral da Terra (CPT) emXinguara, frei Henry des Rosiers, disse que o assalto revela oclima de "total insegurança" no sul do Pará para os agentes dogoverno desempenharem seu trabalho de combate ao crimeorganizado.

Agencia Estado,

09 de junho de 2002 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.