Fiscais flagrados cobrando propina para burlar Cidade Limpa

Fiscais da Subprefeitura do Jaçanã-Tremembé, flagrados recebendo propina para permitir a distribuição irregular de panfletos, burlando a fiscalização do Projeto Cidade Limpa, na última segunda-feira, 16, irão responder não apenas por improbidade administrativa, mas também a um inquérito por corrupção. De acordo com a Rádio Bandeirantes, a decisão foi anunciada nesta terça-feira, 17, pela Promotoria de Justiça e Cidadania do Ministério Público do Estado. Em reportagem apresentada pela Bandeirantes, na última segunda-feira, os fiscais da subprefeitura aparecem confirmando a existência de um esquema para burlar a fiscalização ao Projeto Cidade Limpa e permitir a distribuição irregular de panfletos em cruzamentos da cidade. Dois fiscais cobraram R$ 750,00 para permitir a irregularidade. Em uma das gravações, disponibilizadas pela Rádio Bandeirantes, um dos agentes chega a indicar os locais onde a entrega dos folhetos deveria ser feita. "Na esquina da Abílio com a Irmã Emereciana, ali você pode estar colocando um, menos na esquina da Guapira com Stamarte, não põe ninguém ali. Até uma base de 13 horas, até o sub está rondando a área (sic)", disse. Logo depois, o mesmo agente ensina como enganar outros fiscais. "Se alguém falar alguma coisa, dá uma paradinha (sic). Às vezes, a gente é obrigado a chamar a atenção. Aí, você dá uma paradinha, meu querido, senta um pouquinho. Depois volta de novo", frisou. As gravações feitas pela Bandeirantes servirão de ponto de partida para a investigação do Ministério Público. Segundo o promotor de Justiça Sílvio Marques, em um mês as investigações devem chegar ao fim. "Vamos apurar o eventual ato de improbidade e em um mês teremos uma posição mais concreta".

Agencia Estado,

17 Abril 2007 | 11h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.