Fiscalização da CPTM apreende 1,3 milhão de mercadorias

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) apreendeu entre janeiro e outubro deste ano 1.347.983 unidades de mercadorias realizadas em suas seis linhas. Balas, chocolates, chicletes e bebidas são alguns dos produtos vendidos ilegalmente no interior de trens e estações. O volume é resultado da atuação intensificada das equipes de segurança que combatem este tipo de infração.Nas linhas A (Luz/Francisco Morato) e D (Luz/Rio Grande da Serra), os registros apontam 16.897 ocorrências, com a retenção de 571.896 itens. Já nas linhas B (Júlio Prestes/Itapevi) e C (Osasco/Jurubatuba), os agentes recolheram 404.078 produtos, enquanto nas linhas E (Luz/Estudantes) e F (Brás/Calmon Viana), as apreensões somaram 372.009 unidades de mercadorias.No ano passado, foram apreendidas 1.553.691 de unidades contra 1.451.806 no mesmo período de 2004. Segundo Leopoldo Correia Filho, gerente de Segurança da CPTM, os ambulantes perceberam o aumento da fiscalização e por isso agem agora dissimuladamente, escondendo e dividindo em partes os produtos vendidos, o que diminui a possibilidade de flagrá-los.A CPTM mantém equipes especializadas (Grupo de Apoio Móvel, ou GAM) para percorrer trens e estações diversas vezes por dia, em toda a malha ferroviária. Vestidos à paisana, os agentes se portam como usuários, agindo apenas diante de anormalidades ou no flagrante de venda ilegal. Os produtos retidos são contabilizados, descritos em formulário próprio e encaminhados a entidades assistenciais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.