Fiscalização da Receita Federal termina em tumulto em Porto Alegre

Comerciantes bloquearam a Avenida Júlio de Castilhos, no centro da cidade, por cerca de uma hora

Elder Ogliari,

09 Outubro 2012 | 18h36

PORTO ALEGRE - Revoltados com a fiscalização da Receita Federal, que fechou temporariamente parte das lojas do camelódromo de Porto Alegre, dezenas de comerciantes do local bloquearam o tráfego da Avenida Júlio de Castilhos, no centro da cidade, por cerca de uma hora, nesta terça-feira, 9.

Temendo um tumulto, várias lojas localizadas nas proximidades baixaram suas grades. A operação da Receita Federal teve o acompanhamento do Batalhão de Operações Especiais da Brigada Militar.

A ação de fiscalização, denominada Operação Brinquedo Perigoso, mobilizou 120 fiscais da Receita Federal e 200 policiais militares. Os agentes recolheram cerca de 200 caixas de brinquedos sem nota fiscal e sem o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), com valor estimado em R$ 450 mil, de 27 lojas. Os comerciantes têm prazo de 15 dias para procurar a Receita e apresentar os documentos. Se comprovarem a procedência legal das mercadorias, poderão retirá-las. Quando os fiscais se retiraram, a maioria das lojas reabriu e o trânsito voltou ao fluxo normal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.