Fita pode ajudar no inquérito das mortes em Sorocaba

O delegado titular do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter 7), Ivaney Cayres de Souza, espera a entrega de uma fita com cenas do confronto em que morreram 12 integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), no último dia 5, em Sorocaba, para a conclusão do inquérito que investiga as mortes. A fita foi gravada a partir de uma câmera da concessionária ViaOeste instalada em um ponto elevado do pedágio da Rodovia Senador José Ermírio de Moraes, a Castelinho. Segundo o delegado, esse material está com o comando da Polícia Militar em São Paulo. A câmera estava voltada para o local em que ocorreu o tiroteio. Logo após a ação, o delegado seccional de Sorocaba, Everardo Tanganelli Júnior, dirigiu-se à administração do pedágio para apreender a fita. Ele constatou que a câmera estava direcionada para o ponto em que o ônibus foi parado pelos policiais. Nesse confronto, foram mortos o motorista e os sete passageiros. Funcionários do pedágio informaram que a fita já tinha sido requisitada por um capitão da Polícia Rodoviária, que a repassou a um oficial da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). O delegado não conseguiu, naquele dia, reaver o material. Souza, no entanto, teve informações de que a fita já foi vista pela PM. As cenas do confronto estariam com pouca nitidez. "O comando da Polícia Militar garantiu que essa fita nos será enviada." Ele ainda desconhece o conteúdo das gravações. "Assim que receber, vou examinar o que está gravado." O delegado Tanganelli Júnior, que vinha presidindo o inquérito, entrou em férias durante o fim de semana. O inquérito será concluído pelo delegado Ricardo Stanev, nomeado por Souza para substituir Tanganelli nesse período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.