Flamengo x Vasco pára a caçada ao traficante Dudu

A caçada ao traficante Eduíno Eustáquio de Araújo, o Dudu, no complexo de favelas do Alemão (zona norte), foi suspensa. A ordem partiu do chefe de Polícia Civil, delegado Álvaro Lins. Ele argumentou que, por ser um domingo com decisão do campeonato estadual de futebol, entre Flamengo e Vasco, há um grande número de pessoas circulando pelas favelas. Isso aumenta o risco de que civis sejam feridos em um possível tiroteio entre policiais e traficantes.A polícia, no entanto, permaneceu nos acessos ao complexo e recomeça a busca amanhã pela manhã. Dudu comandou uma tentativa de invasão da Favela da Rocinha, em São Conrado (zona sul), que provocou 12 mortes. O efetivo empregado pela polícia na procura por Dudu é composto por 350 homens. À noite, o número é reduzido para 300 agentes.Hoje, um trailer da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), grupo de elite da Polícia Civil, foi levado para a entrada da Favela da Grota, uma das 11 que formam o complexo. Equipado com computadores, o comando móvel será usado para checar os antecedentes criminais de suspeitos.Em incursões realizadas durante a manhã, a polícia apreendeu um carro roubado, um quilo de maconha prensada e uma balança. O carro, um Palio com placa clonada de Belo Horizonte, estava na Favela Nova Brasília. A polícia suspeita que o veículo, cuja número de chassi foi alterado, tenha sido usado por Dudu. A droga e a balança foram encontradas em uma casa supostamente abandonada, na região conhecida como Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.