WILTON JUNIOR / ESTADÃO
WILTON JUNIOR / ESTADÃO

Flordelis participa de primeira audiência do processo do assassinato do marido

Deputada federal é acusada de ser mandante do homicídio do pastor Anderson do Carmo, em 2019; ela usa tornozeleira eletrônica

Fábio Grellet, Rio de Janeiro

13 de novembro de 2020 | 20h03

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) participou nesta sexta-feira (13), no Fórum de Niterói(Região Metropolitana do Rio), da primeira audiência referente ao processo em que ela e outras dez pessoas são acusadas pelo homicídio do marido, o pastor Anderson do Carmo, morto em 16 de junho de 2019, ao chegar em casa, em Niterói.

Ao chegar ao fórum, usando tornozeleira eletrônica por ordem judicial, afirmou à imprensa: “não mandei matar meu marido, eu não faria isso”. Por estar atrasada, a parlamentar recebeu uma bronca da juíza Nearis dos Santos Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, responsável pela audiência.

Flordelis, também pastora evangélica e cantora gospel, é considerada pela Polícia Civil do Rio a mandante do assassinato do próprio marido e foi denunciada pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) por quatro crimes consumados e um tentado: homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio duplamente qualificado, associação criminosa, uso de documento falso e falsidade ideológica. 

Com imunidade parlamentar, ela não foi presa. Sete filhos e uma neta de Flordelis, também denunciados pelos crimes, estão presos. Ao todo, 11 réus respondem por envolvimento na morte de Anderson do Carmo e acompanharam a audiência desta sexta-feira, que não havia terminado até as 19h15. Foram convocadas para depor 18 testemunhas de acusação, mas só 11 compareceram. Se a juíza considerar necessário, pode interromper a audiência e retomá-la em outro dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.