Florianópolis ainda agitada por causa de tarifas de ônibus

As manifestações contra o aumento de 15,6% nas tarifas do transporte coletivo de Florianópolis continuam, uma semana após o início dos protestos. Hoje, cerca de 200 manifestantes bloquearam, a partir da tarde, a avenida Paulo Fontes, que passa em frente ao Terminal Integrado do Centro (Ticen). Não houve confrontos, mas o trânsito ficou complicado na área, principalmente no início da noite.Perto de 2 mil alunos do maior colégio público de Santa Catarina, o Instituto Estadual de Educação, foram dispensados mais cedo pela manhã. À tarde não houve aula e a direção estudava a possibilidade de suspender as atividades à noite, tudo para garantir a segurança dos cerca de 8 mil estudantes.Dos terminais que compõem o sistema integrado de transporte, apenas o da Lagoa da Conceição (Tilag) não funcionou na tardede ontem, fechado por um grupo de manifestantes. Os usuários não ficaram sem ônibus, porque os motoristas desviaram osveículos para ruas próximas ao local. Uma nova rodada de negociações acontece amanhã, na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Agencia Estado,

05 de julho de 2004 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.