Fogo destrói de parte da Cidade do Samba e compromete estrutura

Barracões da Portela, União da Ilha, Grande Rio e Liesa foram atingidos pelas chamas

Estadão.com.br,

07 de fevereiro de 2011 | 07h39

 

SÃO PAULO - Um incêndio de grandes proporções atingiu a Cidade do Samba, no centro do Rio de Janeiro, por volta das 7h desta segunda-feira, 7. Segundo o Corpo de Bombeiros, foram enviadas ao local 39 viaturas e cerca de 120 homens de sete quartéis, que conseguiram controlar os focos por volta das 11h. A área foi isolada para evitar que o fogo atingisse prédios e armazéns vizinhos ao local.

 

Veja também:

linkIncêndio causa desespero nas escolas de samba

linkPaes sugere que não haja rebaixamento no carnaval

linkDois integrantes da Portela são detidos após confusão

 

Uma vítima foi socorrida e encaminhada ao hospital. Ela teve intoxicação pela inalação da fumaça, mas passa bem. Não há informação se a vítima estava dentro de um dos barracões ou passava pelo local.

Segundo a assessoria de comunicação da corporação, a maior dificuldade em combater o fogo foi a impossibilidade de entrar nos galpões, que já estão com a estrutura comprometida. Parte de uma parede do barracão da Grande Rio desabou e há possibilidade de mais desabamentos. A área da escola foi a mais atingida pelo fogo.

 

Segundo o assessor de imprensa da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Vicente Tatoli, os barracões da Portela, União da Ilha, Grande Rio - que vão se apresentar no segundo dia de desfiles na Marquês de Sapucaí - e o da própria liga foram atingidos. Os barracões das escolas de samba abrigam os carros alegóricos e as fantasias para a folia; no da Liesa, são desenvolvidos projetos sociais.

 

O fogo se espalhou rapidamente em razão do material inflamável, como plástico, madeira e isopor, estocado nos barracões das agremiações. As causas do incêndio ainda estão sendo apuradas pelas autoridades.

 

Em entrevista, por telefone, ao Bom Dia Brasil, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse que não há possibilidade do desfile de escolas de samba não acontecer no carnaval e das escolas atingidas não desfilarem. "Óbvio que estão prejudicadas, mas terão todo o apoio e suporte da prefeitura", afirmou. O prefeito informou que a reconstrução da Cidade do Samba tem início ainda essa semana. Recentemente, ele havia anuncado que iria construir uma nova Cidade do Samba para escolas do grupo de acesso.

 

O tenente-coronel dos bombeiros, Alexandre Rocha, disse à emissora que o trabalho de controle do incêndio é difícil devido à grande quantidade de produtos inflamáveis e às altas temperaturas no local. Segundo ele, o prédio da cidade do samba foi construído dentro das especificações de segurança." O Corpo de Bombeiros faz fiscalizações anualmente. Mas mesmo com as exigências cumpridas, em cada incêndio há sempre um complicador. Não há como ser 100% seguro, ainda mais com uma carga de incêndio é muito grande", explicou.

 

 

 

A Cidade do Samba é um complexo de galpões destinados à armazenagem e construção de alegorias e fantasias das escolas do grupo especial do carnaval carioca.

 

(Com Marília Lopes, da Central de Notícias)

 

Atualizado às 11h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.