Fogos e homenagens no réveillon do País

Toneladas de fogos de artifícios, shows com algumas das principais estrelas da música brasileira e homenagens à cantora Cássia Eller marcam as muitas festas de réveillon que animam o País.No Rio, cerca de 1,7 milhão de pessoas lotaram a praia de Copacabana para assistir à monumental e tradicional queima de fogos, confiantes de que a tragédia do ano passado, quando uma explosão matou uma pessoa e deixou 63 feridos, não se repetiria. E, de fato, não se repetiu. O esquema montado com os fogos em balsas localizadas a 300 metros da praia funcionou. Ao som de Bolero, de Ravel, a multidão brindou a chegada do ano novo, dividida entre os muitos palcos armados nas praias cariocas, por onde já passaram durante a noite Zélia Duncan e Cláudio Zoli, e segue madrugada adentro com Zeca Baleiro, Gabriel o Pensador, e diversas escolas de samba. A festa deve seguir até as 4 horas.As apresentações de Zélia Duncan e Cláudio Zoli marcaram pelos tributos à cantora Cássia Eller, morta no sábado, aos 39 anos. Em Salvador, Caetano Veloso, que comandou a festa armada no Farol da Barra, também lembrou Cássia. Depois dele, que entre seus sucessos mostrou sua versão para o Hino Nacional, a festa teve seqüência com Lulu Santos e Carlinhos Brown, que com sua Timbalada homenageou a cantora repassando Malandragem.Em São Paulo, a Avenida Paulista concentrou os brindes de ano-novo, mesmo sem a programação de shows que marcaram as últimas festas de réveillon na cidade. Desta vez, os paulistanos tiveram de se contentar com a queima de fogos, na altura da Alameda Ministro Rocha Azevedo, que durou 20 minutos. Ainda assim, a avenida símbolo de São Paulo reuniu um grande número de pessoas - e automóveis, que lhe impuseram um trânsito relativamente lento.Quem ficou em casa também pode acompanhar outros nomes da música nacional. A Globo levou ao ar, depois da meia-noite, um show gravado no Rio com Ivete Sangalo, Gabriel, o Pensador, Capital Inicial e Gilberto Gil.Acompanhe nas Últimas Imagens as fotos do réveillon ao redor do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.