''Foi alguém que conhece a casa''

O artista plástico Cláudio Maksoud, filho da proprietária dos quadros roubados, disse ter "suas suspeitas" a respeito dos autores (ou mandantes) do roubo. "Tenho uma ideia de duas ou três pessoas bem próximas, que possam ter feito a coisa. Era alguém que conhecia a rotina da casa profundamente, conhecia como cada um era, os empregados, até os cachorros", afirmou, na manhã de ontem, à Rádio Eldorado. Ele ainda não foi ouvido pela polícia. "Estão investigando e acompanho o que descobrem. Se eu vir algum rastro na investigação que bate com o que acho, eu digo."Os quadros, recuperados em boas condições, devem passar por restauro antes de serem recolocados nas molduras. "Há ótimos restauradores, que vão deixar as peças como eram, não foi nada que não possa ser resolvido. O estrago foi pouco." Segundo o artista, uma empresa de segurança foi contratada para instalar câmeras de vigilância, e novos vigias serão contratados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.