''Foi em menos de um minuto: entrei, fiz e saí''

O senhor está arrependido?Não. Faria de novo.Por que tanta raiva. Vale a pena?Antes ele do que eu. Essa é a minha honra. Sou homem.O que pensou ao se tatuar?Pensei que quando eu for para a cadeia, ele vai comigo; quando eu morrer, ele vai morrer comigo.O que o tatuador falou quando você pediu um caixão?Ele ficou assustado.Por que bateu na sua mulher?Porque eu descobri, né?O senhor sabia que ela o traía?Sabia. Um amigo me avisou.E foi por isso que o senhor mandou matá-lo?Mandei, não. Matei.Quantos foram os tiros?Cinco.Como é que foi no dia do crime?Foi em menos de um minuto. Entrei, fiz e saí.Pensou em matar sua mulher?Não, não. Pensei no meu filho.Você fez isso por sua mulher?Não. Fiz isso porque estava sendo ameaçado de morte. Agora está nas mãos de Deus.

Entrevista com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.